MONTE SUA PRÓPRIA DIETA SEM GLÚTEN

Confira os alimento que podem ou não comer e monte sua própria dieta sem glúten

A dieta sem glúten é necessária principalmente para quem tem intolerância ao glúten e não consegue digerir essa proteína, ficando com diarreias, dor e inchaço abdominal quando come essa proteína, como é o caso de quem tem doença Celíaca ou sensibilidade ao glúten.

A dieta sem glúten, algumas vezes, é utilizada para emagrecer porque são eliminados da alimentação vários alimentos, como pão, bolachas ou bolos, por exemplo, por possuírem glúten e assim diminui o valor calórico ingerido, facilitando a perda de peso numa dieta de emagrecimento.

Mas no caso de um doente celíaco a eliminação do glúten envolve a leitura detalhada de todos os rótulos de alimentos e até componentes de remédios ou batons. Porque a ingestão, mesmo que pequena de vestígios de glúten nesses produtos pode desencadear um processo infamatório grave. Nestes casos, a farinha de sorgo, que é naturalmente sem glúten e bastante nutritiva, pode ser uma alternativa.

 

Cardápio da dieta sem glúten

O cardápio da dieta sem glúten é difícil de seguir, pois são eliminados muitos alimentos comumente consumidos no dia a dia. Segue-se um exemplo.

  • Café da manhã – pão sem glúten com manteiga e leite ou tapioca.
  • Almoço – arroz com filé de frango grelhado e salada de alface, tomate e repolho roxo, temperada com azeite e vinagre. Para sobremesa melancia.
  • Lanche – vitamina de morango com amêndoas.
  • Jantar – batata cozida com pescada e brócolis cozidos, temperados com vinagre e suco de limão. Maçã para sobremesa.

Para ter mais alternativas para a dieta e consumir todos os nutrientes importantes para o corpo é necessário fazer a dieta sem glúten com o acompanhamento de um nutricionista especializado.

 

Que alimentos se pode adicionar na dieta

Para criar seu próprio cardápio, pode seguir alguns dos exemplos desta tabela:

Tipo de alimento Pode comer Não pode comer
Sopas De carne e/ou legumes. De miojo, enlatados e industrializados.
Carnes e outras proteínas Carne fresca, aves, frutos do mar, peixe, queijo suíço, queijo creme, cheddar, parmesão, ovos, feijão branco seco ou ervilhas. Preparados de carne, comidas industrializadas, suflês com farinha ou queijo cottage.
Batata e substitutos da batata Batata, batata-doce, inhames e arroz. Creme de batata e preparados industrializados de batata.
Legumes Todos os legumes frescos ou enlatados. Legumes cremosos preparados com farinha e legumes industrializados.
Pães Todos os pães feitos com farinha de arroz, maisena, tapioca ou soja Todos os pães feitos com trigo, centeio, cevada, aveia, farelo de trigo, gérmen de trigo ou malte. Todos os tipos de bolachas.
Cereais Arroz, milho puro e arroz doce Lanches com cereais, farinha de trigo, uvas secas, mingau de aveia, gérmen de trigo, cereais de milho ou cereais com malte adicionado.
Gorduras Manteiga, margarina, óleo e gorduras animais. Cremes e molhos preparados e industrializados.
Frutas Todas as frutas frescas, congeladas, enlatadas ou secas. Frutas preparadas com trigo, centeio, aveia ou cevada.
Sobremesas Tortas caseiras, biscoitos, bolos e pudins feitos com milho, arroz ou tapioca. Gelatinas, merengue, pudim de leite e sorvete de frutas. Todos os doces e sobremesas industrializados.
Leite Fresco, seco, evaporado, condensado e creme doce ou azedo. Leite maltado e iogurte industrializado.
Bebidas Água, café, chá, sucos de fruta ou limonada. Pó de frutas, cacau em pó, cerveja, gin, uísque e alguns tipos de café instantâneo.

No entanto, é sempre recomendado fazer uma dieta orientada por um nutricionista, especialmente no caso dos doentes celíacos.

Leia Também: Como Isis Valverde lida com a Intolerância ao Glúten