COMO COMBATER A FOME EMOCIONAL?

Liberte-se da fome emocional. Com essas dicas a comida já não será uma desculpa!

Nem sempre comemos apenas para saciar a fome. Às vezes acabamos apelando para a comida simplesmente para aliviar sentimentos ruins, ou como recompensa. Essa necessidade em comer mesmo sem estar com fome é conhecido como: Fome Emocional .

Muitas Pesquisas nesta área mostram que, na maioria das vezes, ganhamos peso não por causa da necessidade física de comer, mas sim por causa da fome emocional e dos desafios de uma nutrição adequada.

A Fome Emocional existe e não esta ligada somente ao estresse, mas também a estado hormonal, emocional e como compensação.

 

Stress pode tirar o apetite ou pode aumentá-lo. Cortisol, o hormônio liberado em caso de estresse, pode aumentar o apetite e a motivação para comer. Segundo as pesquisas alimentos ricos em açúcar e gordura são os principais inibidores de algumas partes do cérebro responsável pelas emoções em caso de estresse.

 

Como reconhecer a fome emocional?

Nós não estamos sempre comendo apenas para satisfazer a fome, mas também para ter a sensação de conforto, alívio do estresse , ou como uma recompensa moral. Podemos comer por causa das emoções, mas a alimentação emocional não irá resolver o problema em si, e ainda contribuirá com o ganho de peso.

 

Você é um comedor emocional, se:

  • Comer mais quando está estressado;
  • Come mesmo quando não está com fome;
  • Come para se sentir melhor (se está triste, entediado);
  • Usa a comida como recompensa moral;
  • Possui algun alimentos como melhor “amigo”.

 

Qual é a diferença entre fome emocional e fome física?

A fome emocional pode ser bastante forte e facilmente confundida com fome física. No entanto, existem algumas pistas que podem ajudar a fazer a diferença:

• A fome emocional sempre atinge você de repente, ao contrário da fome física, que ocorre gradualmente.
• A fome emocional anseia por alimentos específicos. Quando se fala de fome física, qualquer alimento soa bem; Enquanto a fome emocional requer certos alimentos que lhe proporcionam uma sensação de grande prazer.
• Fome emocional muitas vezes leva à nutrição inadequada. Você percebe quando é tarde e que comeu demais.
• A fome emocional não está localizada no estômago, e sim na mente. Além disso, você fica “preso” em certos pratos.
• Fome emocional muitas vezes provoca sentimentos de arrependimento e auto-culpa, ao contrário da fome física.

Liberte-se da fome emocional

  • Identifique os estímulos

Algumas causas de fome psicológica: Stress, sentimentos ruins (raiva, medo, tristeza, ansiedade, solidão, vergonha), vazios emocionais ou tédio, hábitos vindos da infância (por exemplo, seus pais te davam sorvete para recompensar um bom desempenho na escola), influências sociais (sair para beber com amigos e acabar perdendo o controle, amigos que acabam estimulando você a comer ou não respeitam sua dieta).

  • Encontrar outras formas de aliviar seus sentimentos

    Aqui vão algumas ideias:

    • Se estiver deprimida ou sozinha, ligue para alguém que sempre faz você se sentir melhor, brinque com seu cão ou gato, ou olhe algum álbum de fotos de bons momentos.
    • Se você está ansiosa, gaste essa energia dançando sua música favorita, espremendo uma bolinha de borracha tipo fisioterápica ou ir fazer uma caminhada.
    • Se você está exausta, tome uma xícara de chá quente, tome um banho, acenda algumas velas aromatizadas, ou enrole-se num cobertor quente.
    • Se está entediada, leia um bom livro, veja um show de comédia, dê uma saída de casa, ou faça alguma atividade que você goste.

 

  • Quando os desejos aparecerem, Pare!

Quando você sentir muita vontade de come, pare e pense se realmente você está com fome, tente não comer nada nos próximos cinco minutos, é o tempo suficiente para você refletir e identificar o motivo da fome.

 Evite pensar que “você não vai ceder à tentação”, pois assim você apenas pensa na tentação, e isso pode ser mais forte no final das contas.

Diga-se apenas que vai esperar, e enquanto espera, procure se perguntar como se sente, o que está acontecendo emocionalmente, e mesmo que você acabe comendo, terá um entendimento melhor do processo todo. O que vai acabar lhe ajudando a ter uma resposta diferente da próxima vez.

 

  • Sustente esses novos comportamentos com Hábitos Saudáveis

Tornar exercícios uma prioridade, arranjar tempo para um bom relaxamento, conectar-se com os outros em atividades sociais e ter sempre um bom sono são exemplos de hábitos que tornarão sua vida mais saudáveis e aumentarão sua capacidade de resistir às tentações alimentares.

Leia Também: O Que Comemos Diz muito sobre Nós

FONTE