CULOTE: SAIBA COMO ELIMINA-LO

O cirurgião plástico Anderson Pacheco revela as melhores dicas para eliminar o culote de vez!

O culote é um dos principais incômodos das mulheres. O culote nada mais é do que um termo popular para caracterizar o acúmulo de gorduras na região que compreende quadril, face lateral da coxa e porção lateral dos glúteos. Esse acúmulo de gordura localizada causa estresse e desconforto para muitas mulheres. O que muita gente ainda não sabe é que o culote nem sempre significa ganho de peso. Ele pode ser de origem hormonal ou genética.


 

Qual seu tipo de culote?

Ao Identificar o seu tipo de Culote, o método de tratamento será mais certeiro. Fibroso: de consistência mais dura e com celulite avançada; Menos fibroso: menor e de consistência macia que acompanha as formas do corpo, apresenta uma celulite leve; Não flácido: pode ser resolvido com cirurgia plástica de lipoescultura ou hidrolipo; Flácido: Apresenta tamanho desproporcional e pele flácida, de difícil retração após lipoaspiração.


Como reduzir o acúmulo de gordura na região do culote

Segundo Dr. Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico da Clínica Michelangelo em Curitiba,  o culote surge ainda na adolescência, quando ocorrem os maiores períodos de mudanças hormonais femininos. “A época que o culote realmente começa a aparecer, podendo mudar de organismo para organismo, é a partir dos 18 anos”, comenta. Apesar de ser difícil, não é impossível eliminar essa gordura localizada. O ideal é associar exercícios físicos e uma alimentação saudável para amenizar o incômodo. Caso não fique satisfeita, existem as opções cirúrgicas, que estão cada vez mais seguras e oferecendo bons resultados.

Lipoaspiração

A lipoaspiração de culote melhora o contorno do corpo, deixando-o mais harmônico, “mas, assim como qualquer outra lipoaspiração, não é um método de emagrecimento”, relembra o cirurgião. Os resultados na maioria dos casos tem uma longa duração, mas, se não tomar os devidos cuidados depois da cirurgia, os resultados podem retornar, ganho de peso, a gravidez e fatores de estilo de vida, como o sedentarismo podem favorecer a volta dos culotes.


Drenagem

Para quem não quer encarar a faca, Pacheco explica que a drenagem linfática, exercícios físicos e uma alimentação saudável são muito bons para o corpo como um todo. A drenagem, por exemplo, remove o líquido, ou seja, apenas o inchaço. Dessa forma ela é boa para amenizar o problema.

Leia Também: O Guia Completo para Acabar com as Estrias

Deixe uma resposta